O perigo dos edulcorantes

Você tem o hábito de ler os rótulos dos produtos que consome? Antes de beber ou comer algum alimento é preciso saber o que se está ingerindo.

Quantidade de açúcares, sódio, ingredientes naturais e artificiais. É preciso estar atento a tudo que entra na sua casa – e, em muitas situações, os produtos industrializados podem “envenenar” a rotina de sua família.

Estudos atuais apresentam novos vilões presentes nos produtos considerados light, diet e zero – que podem causar riscos à saúde daqueles que não possuem restrições alimentares.

Você já percebeu que, mesmo sem a adição de açúcar, estes alimentos são doces? Para alcançar este sabor as indústrias químicas utilizam os edulcorantes, mais conhecidos como adoçantes.

Os especialistas continuam estudando a ação destes componentes no organismo humano, para comprovar o quão tóxico o consumo pode ser. As análises buscam comprovar se estes aditivos podem aumentar as chances de desenvolver doenças graves. Inclusive, podem ser prejudiciais à mãe e ao bebê durante a gravidez e contribuir para o aumento de peso.

Os edulcorantes estão presente em sucos, chás, refrigerantes e, inclusive, em alimentos à base de soja. Os mais conhecidos são: aspartame, sacarina e ciclamato.

Para fugir do problema, procure sempre adoçar seus alimentos e receitas com ingredientes naturais, como mel e agave. O açúcar mascavo, que não passa pelo processo de refinamento, é o mais indicado para consumo diário. E há também o stevia, uma opção mais natural e de baixas calorias.

Lembre-se de sempre consultar seu médico e um nutricionista para conhecer qual é a melhor dieta para seu organismo. Seguir as recomendações dos profissionais é a melhor forma de cuidar de você e de sua família.

Apresentação

Este site, que se apresenta como um Fórum on-line de Profissionais Latino-americanos de Segurança , surge como resposta à inquietude de um grupo de Colegas de Segurança da Argentina, Brasil, Chile, Peru e Uruguai.

Este grupo inicial, cujos integrantes se desenvolvem em diferentes disciplinas da Segurança profissional, buscam empregar as poderosas ferramentas que oferece a Internet para compartilhar informações atualizadas e conhecimentos especializados com seus Colegas de toda a América Latina.

Essa inquietude deu origem a este site de encontro on-line, que acreditamos ser o projeto de muitos profissionais latino-americanos da Segurança que diariamente trabalham para melhorar a qualidade de sua atividade profissional. 

Responsabilidade sexual

No tempo do descobrimento do Brasil, uma mensagem chegava a Europa meses depois de ter sido escrita. Ela ia de navio e nem sempre chegava ao seu destino. A navegação era um risco e os naufrágios, comuns. Receber a resposta era um drama, uma longa espera. A tecnologia avançou tanto que hoje você envia uma mensagem de texto, uma foto, um vídeo para o outro lado do mundo e o destinatário o recebe praticamente no mesmo instante através da internet.informacao na internet

Como tudo na vida a velocidade da propagação da informação tem o lado bom e o ruim. Por isso preciso muito cuidado principalmente quando se trata de comportamento sexual. A atriz Juliana Paes participou de um desfile quando uma brisa levantou seu vestido, ela estava sem calcinha. Os fotógrafos flagraram e a imagem foi para a internet.

Nos últimos dias a internet foi inundada por um vídeo, feito por um paparazzi, em que uma famosa modelo e apresentadora de televisão brasileira estaria transando com o namorado numa praia da Espanha.

O fato que todas as pessoas podem inserir informações na internet. O lado bom que a grande rede um ambiente de informação livre. E este também é o problema. Se há falta de responsabilidade o resultado pode ser catastrófico para a vida de uma pessoa comum.

Recentemente, no interior de São Paulo, um jovem colocou, por vingança, a foto da ex-namorada na internet em que ela aparece tendo uma relação sexual. O resultado foi trágico. As cenas provocaram um trauma na família. A menina precisou mudar de escola e o garoto foi preso.

Hoje qualquer um pode fazer imagens de vídeo usando celular, câmera fotográfica, palmtop, webcam. Uma simples brincadeira entre adolescentes pode se transformar em uma tragédia pessoal.

Sem falsos moralismos, o fato que os jovens precisam ser alertados sobre os riscos e o trauma que isso pode provocar na vida das famílias e da sociedade.